agosto 03, 2008

[ Noites de mim ]

A vela ilumina o quarto.
O sono teima em não chegar..
Tenho somente esta imensa vontade de dizer o quanto tenho saudades tuas, meu pai...
Daquelas que acabei por nunca sarar.
Daquelas que nem eu mesma sei porque as tenho, pois não há razões para do que ter saudades.
Talvez tenha sim saudades de ti como nunca foste.. saudades de ti como nunca exististe, porque não te é permitido sentir do mesmo modo que eu sinto.
Saudades.. tenho.. Não posso negá-lo.. e dentro de mim, este eco em surdina me abafa o sono.
Por onde andarás a esta hora? Longe sei que estás.. Mente essa que anda sempre longe de tudo, do mundo.. de nós.
Será que nela não há lugar para o amor?
Ligaste ontem, fiquei feliz por te ouvir, será que o percebeste? Talvez não! Fica sempre tanto por dizer, fica sempre tanto por ouvir. És sempre tão veloz no que dizes e como o dizes.. Com a mesma velocidade com que pensas.. sem pensar.
Talvez nem consigas sentir que vou embora; vou para longe! Mas de ti; longe eu sempre estive.
A ninguém é permitida a entrada nesse labiritinto que é a tua cabeça. Essa que tanto acumula de sabedoria e que partilha corpo com um coração que está alheado de tudo o resto.
O teu pensamento; a tua razão.. sempre tão vuláteis.. Coração esse que está perdido algures entre o real e o teu mundo. Ligaste.. estavas bem.. fiquei feliz..
A vela continua a arder e ela é minha companhia.. todas as noites. Pois à noite oro por ti.

11 comentários:

MADRUGADA... disse...

Passei para deixar a minha impressão digital.

Cumprimentos.

Dois Rios disse...

"saudades de ti como nunca foste."

A pior falta é a do que nunca existiu.

Beijo,

Borboleta disse...

Que dor, Sonia, querida... vim só prestar minha solidariedade e deixar meus votos de melhoras.
Beijos carinhosos

::: Sonia ::: disse...

É uma dor que está sarada, querido Santhiago.

Bia disse...

Como te entendo ... Fica empre tanto por dizer .. quando desligamos o telefone, fica a dor, a saudade a angustia das coisas não ditas! Ele está longe... mas, mora em teu coração.. e mesmo que isso te magoe, tu não o esqueces...
Eu sei bem do que falas...
É muita saudade misturada com dor ...



miminhos... atrevidos!

Masturbatrix disse...

Um fôlego para a vela e um beijo para ti.
E muito obrigado por estes bons momentos.

João Videira Santos disse...

Um texto com chagas onde as palavras sangram...

Cakau disse...

Querida Sónia, compreendo-te perfeitamente, o meu pai era tb esquizofrenico, faleceu quando eu tinha 20 anos.
Tudo se perdoa, tudo se faz por esquecer, tudo passa...
um beijinhos grande amiga

Ana

flor disse...

olá
Parabens pelos trabalhos. Ficaram mesmo bonitos.
Estava de passagem e não pude deixar de comentar =)
beijo

p.s.: Vem visitar-me!!

Nucha disse...

Adorei o blog...e como sei que escrever no pc tem destas coisas...voláteis!!!tudo de bom para ida p Barcelona...

Nucha disse...

Adorei o blog...e como sei que escrever no pc tem destas coisas...voláteis!!!tudo de bom para ida p Barcelona...